Jorge Amado: 100 anos

Colóquio Internacional 100 anos de Jorge Amado. O Escritor, Portugal e o Neorrealismo. 12 a 16 de novembro, 2012.

A organização do evento consome tempo, mas a intertextualidade começa a ser um problema que me apaixona:

Tereza Batista e outras guerras.

RESUMO
Tereza Batista cansada de guerra, romance de Jorge Amado, publicado em 1972, constitui uma longa narrativa centrada sobre os infortúnios, os sucessos e venturas de Tereza Batista, que se vão desenrolando pelo Recôncavo da Bahia, espaço também ele revestido de algum protagonismo. Trata-se de um universo diegético extremamente elaborado, cruzando diferentes tempos, espaços e personagens, caracterizado por uma polifonia de interessantes efeitos estéticos.
Neste trabalho, pretenderei analisar como, nesta estrutura narrativa complexa, na senda das mais significativas obras de uma fase de Jorge Amado que passou para além do estrito neorrealismo, confluem e se cruzam ecos de experiências de lirismo, sátira, extravagância, exemplaridade e moralismo anteriores, num claro efeito de memória, de reconhecimento e de releitura. Numa recuperação consciente ou não de temas e formas, consubstanciados em textos que se tornaram repositório e modelo para a literatura posterior, uma “biblioteca anterior”, portanto, Tereza Batista cansada de guerra pode apresentar e validar relações intertextuais inesperadas e fulgurantes, mas fundamentadas e dinâmicas, capazes de conduzir eficazmente a novos sentidos e a diferentes efeitos estéticos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s