Viridiarium by sara a.

Vou perdendo a ilusão da quietude das flores. A luz nunca é a mesma e qualquer hera rasteira (mas obviamente impressionista…) parece mudar de cor, de textura, de forma… que quase receio que desapareça de uma hora para a outra.

Estranho o que os meus olhos me dão a ver. Ou talvez seja tão somente o modo diferente como cada flor, cada caule e cada folha, se revelam, um modo mais rigoroso, mais incisivo, insinuante, agora que estou mais atenta. Por vezes sou eu que fico quieta, antecipando mistérios e sombras. Outras vezes disparo sem medir. E em tudo isto há encolher de ombros e torcer de lábios… como há surpresa e olhos brilhantes.

Consigo fazer o mesmo quando olho o teu rosto? Que revela para além do visível? E tu, serás capaz de me ver como cada flor que prendi me viu?

Anúncios

3 Comments Add yours

  1. NETPIN diz:

    Eu prometi visitas frequentes, e aqui estou.
    Fico quieto, olhar no vazio, meditando no que leio… procurando desvendar o invisível oculto por trás destas letras.
    Admirável Sara a.

    1. Sara Augusto diz:

      Venha, sempre. Fique quieto, escreva, como lhe apetecer! Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s