Rua das Flores

Olhei uma vez e vi. Da segunda vez passei mais devagar. À terceira parei e fui ver. Talvez a beleza do lugar tenha a ver com a geografia, entre casas baixas, casas altas e horizontes entrevistos. Ou terá a ver com as ruas que ali se cruzam, a Couraça dos Apóstolos e a Rua das…

Estrada interior

O António José Coelho é um homem gentil. Está mais habituado a ler o que escrevo do que a ouvir-me… e os meus textos não são gagos. Quando foi o lançamento da Guerra Interior em Viseu, falámos na possibilidade de fazer duas entrevistas. Uma está feita, esta de que indico as ligações. Estava ansiosa, pois então….

Assim, as noites e os dias

Gosto de surpreender a minha avó. Às vezes entro na sala e dou-lhe um beijo no cabelo sem ela estar à espera. Raramente se assusta a não ser que esteja a dormitar. Nessa altura acordo-a a ela e às outras velhinhas todas da sala. Na verdade nunca visito só a minha avó; acabo por saber…

Os turcos de Jorge Amado e de Tatiana Salem Levy

Estou a acabar mais um artigo sobre os romances da Tatiana Salem Levy. Foi um belo pretexto para rever uma das minhas novelas preferidas de Jorge Amado. O artigo começa assim: A acreditar-se nos historiadores ibéricos, sejam espanhóis, sejam portugueses, a descoberta das Américas pelos Turcos, que não são turcos coisíssima nenhuma, são árabes de…

What happened to Miss Spring?

Continuo com frio e este ano quase nem dei conta das flores da minha ameixeira do quintal. Não me lembro sequer de a ver toda florida como costumava. Pode ser que eu não tivesse estado presente. Pode ser que as flores tenham fugido da chuva, caídas na água do tanque. Vou ter menos ameixas. São…

Apresentação da “Guerra Interior”, Viseu

Sábado, pelas 15.30h, na Igreja do Seminário Maior, vai ser o lançamento da edição do manuscrito Guerra Interior, da autoria do Pe. Matias de Andrade, oratoriano que foi no século XVIII da casa de Freixo-de-Espada-à-Cinta, obra que resultou da parceria da Quartzo Editora com o Centro de Literatura Portuguesa. Já foi feita a primeira apresentação…

Firework

Tenho medo do fogo. Tenho medo desde menina, quando os incêndios rodeavam a aldeia e os homens combatiam o fogo com o que tinham à mão. Ainda tenho esse medo miudinho. Há poucos dias fugi das chamas como o diabo da cruz e chorei descontroladamente, zangada comigo mesma por me sentir assim. Mas há fogos…