Romaria

Costumava ir à romaria com os meus avós. Adorava as barracas, os rituais, os rebanhos à volta da ermida, os ex-votos de cera. A minha avó comprava-me um saco de beijinhos e um conjunto de panelinhas para eu brincar. Merendávamos pão com queijo, bacalhau frito e bolos d’água. O meu avô de olhos verdes, enorme,…

The heart asks for pleasure first

***** What’s in a name? that which we call a rose By any other name would smell as sweet. Romeo and Juliet The heart asks for pleasure first. The piano, Michael Nyman Tenho tentado não fotografar flores e estas fotografias já têm mais de um mês. Mas hoje pareceram-me voluptuosas, enigmáticas… e bonitas. For my…

Fábula dos Planetas

***** Sunt bona, sunt quaedam mediocria, sunt mala plura Quae legis hic: aliter non fit, Avite, liber. (Marcial, Liv. II, Epigr. 16) Acabou de sair, editado pela conhecida Iberoamericana / Vervuet, o volume Del poder y sus críticos en el mundo ibérico del Siglo de Oro. Con contribuciones en portugués (Índice), com coordenação de Ignacio Arellano, Antonio…

No light

You can’t choose what stays and what fades away. Florence and the machine You are the hole in my head, you are the space in my bed, you are the silence in between what I thought and what I said. You are the night time fear, you are the morning when it’s clear, when it’s over…

Roga pro nobis

Fiquei quieta e baixei a máquina fotográfica. E, no entanto, a luz era perfeita, o enquadramento desenhado milimetricamente. Dei dois passos atrás. Percebi que ela chorava quando vi que os ombros estremeciam, como acontece nos filmes, e quando caíram duas lágrimas, que ela não escondeu, sobre as mãos enroladas no peito. Pareceu-me que ficou muito…

João Gostoso

Falar durante oito horas sobre a poesia de Manuel Bandeira é sempre bom, muito bom. Daqui a pouco dou o primeiro seminário e, sobre a presença dos factos e do quotidiano em Libertinagem, obra de 1930, releio o “Poema tirado de uma notícia do jornal”. Quase sempre os alunos ficam perplexos. Eu só respondo: e por…

Adágio em dor maior

This is how an angel dies. Awolnation, Sail Gustav Mahler, Symphony No. 5, Adagietto Be there, city of angels. Podia morrer hoje e tu não saberias. Não se abriria o céu, nem murchariam flores não soprariam ventos gelados nem nenhum pressentimento te assustaria. E eu podia morrer hoje, sabias? É assim que os anjos morrem. Quando…

Move-se brandamente o arvoredo

Tudo passei; mas tenho tão presente a grande dor das cousas que passaram, que as magoadas iras me ensinaram a não querer já nunca ser contente. Camões, Soneto “Erros meus, má fortuna, amor ardente”. Há em alguns sonetos de Camões um sentimento de funda desesperação que me deixa profundamente inquieta. Muito mais do que a…

Morreu Raquel, morreu minha alegria

— Mais servira, se não fora Pera tão longo amor tão curta a vida! Camões, Soneto “Sete anos de pastor Jacob servia”. A novela moral, Orbe celeste, publicada em 1742 com o pseudónimo Leonarda Gil da Gama, da autoria de Soror Madalena da Glória, apresenta entre as páginas 207 e 259, cento e cinquenta oitavas com…