Al-Andalus

E encostou a cabeça na parede rendada, descendo os olhos ao chão. Tímida gazela, rola esquiva, pensou ele, vendo-a no pátio à hora em que os arcos se tornavam dourados e as fontes cantavam histórias de engano. Mas ela sabia e recolheu-se. Havia tempo.
Ana de santa Cruz

O Real Alcázar de Sevilla preparou-me para toda a beleza que eu ainda havia de ver na viagem pela Andaluzia. Mas esta primeira experiência foi deslumbrante.

Sinto-me em casa quando vejo pátios, fontes e trepadeiras e digo sempre para mim mesma que queria ficar mais tempo. Ficar num lugar algumas horas, só um dia, é tão pouco, é sempre tão pouco. Preciso de sentir o perfume do calor, de ouvir o correr constante da água, o canto intenso das cigarras, de ter os olhos entreabertos, respirando apenas o dourado suficiente para incendiar sonhos de califas do Al-Andalus.

Mas era só o início.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s