Dias de sombra

***

Um fim de semana de outono de sol intenso e calor. E com a pior dor de cabeça dos últimos meses. Passei o tempo na sombra do quarto, a fugir do barulho e da luz. Fui tomada por um sono intermitente que me embrulhou em sonhos labirínticos e suores frios. Acordava com a pulsação acelerada, os olhos secos, e aquela dor a latejar sobre o lado direito e a nuca. E voltava a adormecer. E a acordar. Cada vez mais ansiosa, a pensar no artigo para acabar e num possível suicídio no Loch Ness no final de novembro.

Acordei melhor pelo meio da tarde. Vi uma borboleta no quintal e peguei na máquina. Já tinha voado para longe quando lá cheguei. Continuo a gostar mais de fotografar coisas quietas do que seres alados irrequietos. Comi os últimos figos maduros e abracei a velha oliveira. Este ano tem azeitonas, reparei, e voltei a abraçar o tronco rugoso e com cheiro de chuva. Fotografei-as e voltei para casa com os olhos quase cerrados. E voltou a doer, tanto.

Mas as fotografias ficaram para lembrar o sol doloroso deste domingo de outono.

dias de sombra sara augusto

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s