Por hoje basta

***

Nolite ergo soliciti esse in crastinum. Crastinus enim dies solicitus erit sibi ipsi: sufficit diei malitia sua.
Mateus, VI. 34

Parei aqui. São Mateus faz-me destas coisas: obriga-me a repetir e a repetir as leituras e a voltar mais tarde. São coisas tão simples da vida que reconheço subitamente e que me deixam sem fôlego com a forma poética e definitiva como são ditas.

E quando os dias são pesados e as noites mais ainda, há neste apelo sentido todo um programa de vida: não queiras preocupar-te com o que ainda não aconteceu, com o que está no amanhã, com o que apenas existe ainda na tua imaginação, na tua ansiedade, nos teus medos ou nas tuas esperanças.

Mas o mais fundo, que me deixou pregada na cadeira, com os olhos fixos, tentando entender tudo o que ali estava escrito, do modo mais simples, foi aquela certeza de que o dia de amanhã cuidará de si mesmo. As preocupações de amanhã não são para hoje; amanhã saberás, amanhã resolverás, pois já bastam a cada dia os seus cuidados. Não acrescentes o que não é para acrescentar.

E tudo isto me levou a esta fotografia, uma das minhas preferidas. Já fotografei dentes de leão algumas vezes (aqui) e a simbologia de uma flor que se desfaz com o sopro não podia escapar à minha mundividência barroca. Parece o emblema perfeito da inquietação e da efemeridade.

Mas esta fotografia prende-me. A flor está inteira mas já não está completamente. As partes soltam-se e ficam quietas, suspensas no tempo e no espaço. A fotografia interrompeu o processo de desagregação,  mas a flor ficará num eterno desassossego. E era tão fácil passar à metáfora… mas hoje não, por hoje basta.

hoje sara augusto

Anúncios

6 Comments Add yours

  1. Helena Gonçalves diz:

    Esta é, de facto, uma fotografia emocionante, Sara! Extraordinariamente simples e complexa!
    A metáfora está feita!
    Extraordinariamente bem … feita!

  2. Sara Augusto diz:

    Helena, sempre atenta… obrigada!

    1. Helena Gonçalves diz:

      Eu agradeço, Sara! Isto é mesmo egoísmo! Tu ftografas e escreves com saber e inteligência mas isso outros fazem! O que tu fazes com isso é que é diferente. É com paixão, emoção, intensidade, inquietação… E tens a enorme capacidade de me emocionares profundamente! E eu gosto da emoção. Obrigada por seres e fazeres assim!

  3. Sara Augusto diz:

    Sempre achei que essa era a minha fraqueza, Helena… demasiada emoção que me tira lucidez e me torna frágil. Agora dizes que isso me torna eu mesma e, por isso, diferente… talvez tenha de acreditar mais nisso. Obrigada pelas tuas palavras!

    1. Helena Gonçalves diz:

      A diferença é a tua força e beleza. Tu tocas e fica melhor!
      Apetece-me sempre dizer-te isto, nem sei bem porquê: “Vai, Sara, vai sem medo!” E não acho que tenhas medo do mundo… Talvez de ti! Um abraço mesmo apertadinho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s