A noção de ser

***

Há um sussuro morno
sobre a terra;
degladiam-se
luz e trevas
pela posse do Universo;
sente-se a existência
a penetrar-nos nas veias
vinda lá de fora
através da janela;

cresce a alegria na alma
a Vida murmura-nos doces fantasias.

Tangem sinos na madrugada
vai nascer o sol.

A. Agostinho Neto, Amanhecer.

Relembro as aulas de Literatura Angolana e as horas que passei a ler a poesia de Agostinho Neto. E depois as aulas, tantos e tantos anos, em que falei de Agostinho Neto, de denúncias e sagradas esperanças… Por isso soube bem ter nas mãos “A noção de Ser”, organizado por Pires Laranjeira e Ana T. Rocha e editado pela Fundação António Agostinho Neto.

O lançamento em Coimbra foi ontem, no Anfiteatro IV, numa sessão presidida por Eugénia Neto.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s