A delícia da vida

(…) E eu morrendo! E eu morrendo,
Vendo-te, e vendo o sol, e vendo o céu, e vendo
Tão bela palpitar nos teus olhos, querida,
A delícia da vida! A delícia da vida!

Olavo Bilac, In extremis

(…) O que adoro em ti lastima-me e consola-me:
O que eu adoro em ti é a vida!

Manuel Bandeira, Madrigal Melancólico

 saraaugusto_MG_8756

 

Creio nos olhos que veem a vida.
Nas mãos que tocam o calor da minha pele.
Nos lábios que murmuram palavras incompletas.
Nos corpos que tecem gestos lentos e quietos.
No coração que a dor tornou maior.
Na alma que o tempo tornou eterna.  

Mas, sobre tudo isso,
Creio nos olhos que veem em mim
A delícia da vida, a delícia da vida.

Ana de Santa Cruz.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s