Vita brevis

Glórias, que hão de ser de tão pouca dura, para que é possuí-las? Felicidades tão momentâneas, para que é estimá-las? Formosura, que tão depressa se afeia, para que é idolatrá-la? Vida, que tão brevemente se acaba, porque que é prezá-la?

Nuno Marques Pereira
Compêndio Narrativo do Peregrino da América (1939, I: 284-285)

20150511_lisboa_aypNos dias 26 e 27 deste mês vai decorrer na FCSH, Universidade Nova de Lisboa, Torre B / Auditório 1, o colóquio internacional A autoridade da tradição e o poder da inovação no teatro e na literatura do Siglo de Oro, organização conjunta do Grupo de Investigação “Cultura, história e pensamento ibéricos e ibero-americanos” e do GRISO – Universidad de Navarra.

Vou falar de Literatura Barroca, claro, mas desta vez de uma forma diferente do que costumo fazer. O título da minha intervenção é Vita brevis: poder e inovação no registo fotográfico das imagens barrocas”. Assim, não vou falar só de literatura, mas também de fotografia, o que me deixa verdadeiramente satisfeita.

 

Anúncios

2 Comments Add yours

  1. É um dois em um em que és excelente nos dois logo o um também o vai ser.

  2. Sara Augusto diz:

    Meu querido, vou tentar dar o meu melhor. Mais do que nunca. 🙂 Obrigada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s