Insolitus

Há um poema de Eugénio de Andrade que fala do insólito e não consigo encontrá-lo. Ele diria tudo o que eu tinha para dizer desta fotografia e da impressão que voltei a ter agora, quase cinco meses depois do registo. Mas não encontro… é uma pena. © Sara Augusto, 2016, Serra da Estrela.

The camera tells its own truth

Procurei o Taipa Village Art Space na Taipa Velha. Estava fechado. Fui visitar o Museu da História da Taipa e Coloane, que estava aberto. Não pude fotografar, não percebi bem por que razão. De qualquer forma decorei as formas do junco. Depois voltei à galeria e vi a exposição do Hugo Teixeira, com todo o tempo…

A solidão não é uma árvore no meio da planície

Sempre vivi só, Também eu, mas a solidão não é viver só, a solidão é não sermos capazes de fazer companhia a alguém ou a alguma coisa que está dentro de nós, a solidão não é uma árvore no meio da planície onde só ela esteja, é a distância entre a seiva profunda e a…

Em silêncio no céu onde o sol está

Hallelujah! Hallelujah! In Ewigkeit! Começam a tornar-se compridas as sombras da tarde, o crepúsculo aproxima-se devagar, também ele em passo de procissão, aos poucos o céu perde o vivo azul do dia, agora é cor de pérola, porém naquele lado de além, o sol, já escondido por trás das copas das árvores, nas colinas distantes,…