The camera tells its own truth

Procurei o Taipa Village Art Space na Taipa Velha. Estava fechado. Fui visitar o Museu da História da Taipa e Coloane, que estava aberto. Não pude fotografar, não percebi bem por que razão. De qualquer forma decorei as formas do junco.

Depois voltei à galeria e vi a exposição do Hugo Teixeira, com todo o tempo do mundo.

15775035_1294950947227973_4664645284365998273_o

Taipa Village Art Space is honoured to invite Luso-American photographic artist Hugo Teixeira to showcase his unique collection of documentary photography featuring an iconographic Macau fixture – bamboo scaffolding on construction sites, which is ubiquitous in the city as it undergoes rapid development. The construction workers (bamboo masters) are acting like spiders, taking a risky job with courage to wrap the vertiginous towers with bamboo scaffoldings which look like spider webs.

Hugo will introduce demanding photographic techniques of yesteryear, exhibiting two types of images: ambrotypes – positive photographs on glass created using a wet-plate process – and cyanotypes – produced using a process that creates a cyan-blue print. To create these stunning images, Hugo uses heavy view cameras and very carefully applied coatings of paper, metal and glass, offering viewers an awe-inspiring journey of discovery back to a 19th century fascination that long predates the digital era.

(Folha de sala, Taipa Village Art Space)

A exposição levou-me de volta ao laboratório, às minhas experiências um tanto ingénuas com o ampliador e o revelador, e à câmera de grande formato, procurando dominar os movimentos e procurando linhas de nitidez.

A exposição deste trabalho do Hugo Teixeira, resultado de uma experiência prolongada no tempo, mostra a procura do olhar subjectivo, desde a captação demorada e pensada, possível em cada procedimento da revelação, que procura não a verdade objectiva mas a projecçao de valores. O azul das cianotipias sobre papel aguarela transforma a fotografia numa pintura. A fotografia tem a sua verdade própria. E uma beleza ímpar, acrescentaria eu.

E foi com tempo que fotografei, conversei, ri-me, ensinei. Há meninos que visitam exposições de fotografia e se deliciam com as câmeras de grande formato!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s